Mentoring, estratégia assertiva para os novos empreendedores

Desde 2011, quando a onda do empreendedorismo digital começou a decolar no País, é comum perceber o crescimento de diferentes empresas de variados segmentos sendo geridas por jovens empreendedores com ótimas ideias, mas pouca experiência no mercado. Esses empresários sabem que a sua ideia é boa e que contam com competência para fazer o negócio crescer, no entanto, é necessário um equilíbrio entre a inovação e a experiência no ramo. É aí que surge a mentoria, ou mentoring.

Mentoring, em português, mentoria é um método que tem sido cada vez mais procurado por jovens empresários que buscam um caminho mais assertivo no mundo corporativo. Esse serviço consiste em contar com os mentores, que são pessoas mais experientes no ramo, que já possuem ampla bagagem na área e, por consequência, têm o conhecimento valioso para contribuir com o desenvolvimento pessoal e profissional dos seus mentorados.

Rebeca Toyama, que é especialista em desenvolvimento humano e tem trabalhado de maneira ampla como mentora em assuntos como tecnologia, finanças e novas tendências de mercado, suas áreas de especialização, afirma que a importância do mentoring está no cuidado com a emoção dos empreendedores. “O mentor é importante por que além dele ter o caminho, está preparado para agir com mais frieza perante o negócio, afastando um pouco os sentimentos na tomada de decisões”, declarou.

A especialista afirma que é comum encontrar empresários que tomam decisões levando em consideração o amor pelo negócio – o que pode não ser uma boa alternativa quando se trata do mundo corporativo. “O equilíbrio é necessário em todas as áreas da nossa vida e quando falamos de negócios ele é ainda mais necessário. O meu papel como mentora, é ampliar a consciência dos meus mentorados para que as decisões mais racionais sejam sempre as escolhidas”, afirmou.

Mentoring x Coaching

Ainda segundo a especialista, que também é mentora de coachings e grandes executivos, é importante levar em consideração que o serviço de mentoring não tem nenhuma ligação à métodos de coaching. “Ambos os métodos são eficientes, porém, devem ser vistos como coisas distintas, visto que eles têm finalidades diferentes e são indicados para pessoas que tem objetivos diferentes”, declarou Rebeca.

A principal diferença entre os dois serviços é que no processo de coaching, o profissional não diz ao seu cliente diretamente o que deve ser feito. Além disso, não é necessário que o mentor seja mais velho ou mais experiências que o cliente. No coaching a finalidade do profissional é apoiar o cliente e trabalhar com reflexões e novos insights sobre vida e carreira, através de metodologias, técnicas e ferramentas voltadas para o autoconhecimento e evolução contínua.

Em relação ao mentoring, por sua vez, é necessário que o profissional tenha mais experiência no mercado e assuma a missão de compartilhar o conhecimento ao jovem talento e, claro, como mentor, contribuir com os assuntos voltados à sua carreira, negócios e, em geral, a questões pessoais dos mentorados.

Empresários que contam com mentores

Atualmente, alguns dos executivos mais bem-sucedidos do mercado contam com mentores para contribuir com a sua vida profissional. Entre os mais conhecidos, por exemplo, estão:

– Mark Zuckerberg, co-fundador e CEO, Facebook;
– Bill Gates, fundador e consultor de tecnologia da Microsoft;
– Cristiana Arcangeli, empresária, apresentadora e palestrante. Atua no mercado de beleza, bem-estar e de alimentos funcionais.

Terra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *