Seu trabalho faz sentido na sua vida?

Estudos recentes vêm comprovando que as pessoas da ilha de Okinawa, no Sul do Japão, já estão vivendo em média mais de cem anos. E, o que é melhor, com grande sentido de felicidade e propósito em suas vidas, relacionamentos e trabalhos. Estas pesquisas demonstraram que a base desta incrível longevidade é fruto de uma filosofia de vida denominada IKIGAI. Ikigai em japonês pode ser transliterado como razão de ser ou o motivo pelo qual você acorda todos os dias pela manhã. Nós conversamos com Eduardo Almeida, diretor executivo do Instituto Próspera e introdutor da Filosofia e Metodologia Ikigai no Brasil. Ele relata o que seria uma vida em Ikigai nas relações corporativas.

Como podemos encontrar propósito no trabalho?

Agora, se você faz parte da imensa maioria das pessoas que estão ativas pelo mundo, certamente acorda todos os dias para fazer uma mesma coisa: trabalhar. Para a maioria dos mortais, o trabalho é apenas um meio para um fim (um salário no final do mês). Na visão Ikigai, ao contrário, tudo começa com amar o que se faz e termina com entender o legado que geramos com aquilo que fazemos. A questão financeira é para esta filosofia o terceiro ponto a se equilibrar, pois a mesma defende que quem não ama o que faz, não se sente motivado a fazer com excelência, não sendo por isso reconhecido e bem remunerado por aquilo que faz, vivendo assim um círculo vicioso. Talvez a dolorosa verdade seja que não somos bem remunerados ou reconhecidos porque não temos clareza sobre o que de fato agregamos com o nosso trabalho.

Você nota isso no mercado?

Em minha atuação frente a diretores de multinacionais e empresários de grande sucesso, tenho observado a veracidade deste conceito. Como regra, todos estes profissionais são exemplos da lógica apresentada pela filosofia Ikigai, já que amam o que fazem, têm forte compromisso com a excelência e são bem remunerados.

Como se aproximar do que você intitula vida em Ikigai?

Se nesse momento você quer se perguntar o quão próximo está de seu Ikigai, basta perceber como seu trabalho responde a estas cinco questões: 1. Você acorda sem energia, ansioso e deprimido? 2. Você se pega várias vezes comprando alguma coisa da qual provavelmente não precisa e pensando: ah, eu mereço me dar este mimo porque eu trabalho muito duro? 3. Você conta o seu tempo de forma totalmente linear, e a sensação é de que a sua vida acontece de sexta a domingo ou de férias em férias? 4. Você olha em volta e sente não pertencer ao ambiente onde você trabalha? 5. Você se sente mais feliz e realizado quando está dedicando tempo ao seu hobby? Se você se identificou com todas estas questões, tome uma atitude e pare para repensar sua relação com o seu trabalho atual, pois esta é uma condição insustentável. Mais informações: www.institutoprospera.com.br

Bem Paraná
Hamilton Fonseca

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Notice: Undefined index: cookies in /home/pamplona/public_html/wp-content/plugins/live-composer-page-builder/modules/tp-comments-form/module.php on line 1638